• Wix Facebook page
  • Instagram Social Icon

09.2019

FERNANDO MARANTE

THE QUESTION CONCERNING THE THING

INAUGURAÇÃO - 19 de Setembro de 2019, 18h-21h

Terça a Sábado - 15h-19h30, de 19 de Setembro a 26 de Outubro

​Módulo Centro Difusor de Arte

O Módulo marca a rentrée de Setembro com a exposição The question concerning the thing, de Fernando Marante, um projecto que elabora sobre os mecanismos de representação e de plasticidade do vocabulário da fotografia.

As imagens desta exposição fazem parte de um projecto que viaja em Outubro e Novembro para Paris, no âmbito da secção Carte Blanche Étudiants, da Paris Photo 2019, da qual o artista é um dos vencedores. Em Outubro próximo, o trabalho de Fernando Marante estará também presente na Drawing Room, em Lisboa, integrado no stand do Módulo.

A representação do mundo está no miolo de todos os processos plásticos, incluindo a fotografia. Nesta, mais do que noutros territórios de criação, a relação da obra com o seu referencial físico sempre se afigurou como complexa, em vir- tude da natureza ilusória da fotografia como tradutora do real.

Barthes lembrava, em face de uma fotografia do irmão mais novo de Napoleão: “vejo os olhos que viram o Imperador”. A fotografia perfura o véu que nos separa do seu momento de captura e coloca perante nós fantasmas que parecem per- tencer ao nosso aqui e agora. Vai até mais longe, sugerindo um mecanismo mágico de transporte até um plano que não nos sendo apresentado, não deixa de estar representado (neste caso, a figura ausente do Imperador).

É neste jogo de visibilidade que se situa o trabalho de representação fotográfica e é este o tema subjacente ao projecto de Fernando Marante, agora exposto no Módulo. The Question concerning the thing é originalmente o título de uma obra de Martin Heidegger de reflexão sobre os mecanismos de pensamento que usamos para determinar o que é uma coisa, num sentido que inclui objectos, mas também ideias.

Fazendo uma transposição livre entre esta reflexão e o trabalho agora apresentado, o projecto de Fernando Marante propõe-nos imagens-hipótese de resposta à pergunta O que é uma coisa? E é aqui que entra o primado de todo o trabalho de representação, do processo experimental de captação das imagens, dos dispositivos e mecanismos de distensão do tempo e de acumulação da presença das coisas no mundo, como produtor de imagens que não estando presentes no mundo físico dele são decorrentes.

O movimento, em repouso, continua a ser movimento? As coisas nas fotografias desta série existem não apenas num espaço determinado, mas também numa duração determinada (num “espaço de tempo”, parafraseando Heidegger). E com isto sugerem-nos uma especulação possível sobre como nos podemos libertar das balizas da visibilidade e explorar a fotografia a partir do interior da sua própria gramática.

Entre as apresentações mais recentes do trabalho de Fernando Marante destaca-se as presenças na JustLX, no passado mês de Maio, na Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira (BF18) e na XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira. No âmbito internacional, o autor foi finalista da secção Descubrimientos da PhotoEspaña 2019.

Fernando Marante (Matosinhos, 1973) vive e trabalha em Lisboa, local onde desenvolve o seu trabalho experimental sobre os atributos de representação da fotografia.
Concluiu em 2017 o Curso Avançado de Fotografia no Ar.Co – Centro de Arte & Comunicação Visual, onde ganhou as bolsas Leonor e António Parreira e Fundação Victor e Graça Carmona e Costa.

09.2019

CARTE BLANCHE - ÉTUDIANTS 2019 

Projets spéciaux 

GARE DU NORD & PARIS PHOTO STAND F1 


UNE PLATEFORME POUR LA PHOTOGRAPHIE ÉMERGENTE

Paris Photo, Picto Foundation et SNCF Gares & Connexions s’associent pour la 3ème année consécutive pour développer une plateforme de de découvertes, de visibilité, d’échanges et de rencontres destinée aux jeunes talents, en master ou licence des écoles de photographie et d’arts visuels européennes.
Les projets des 4 étudiants sélectionnés, parmi plus de 200 écoles européennes, seront présentés au public dans le cadre d’une exposition/projection sur écrans géants à Paris Gare du Nord (du 10 octobre au 20 novembre), ainsi que pendant Paris Photo dans un espace dédié de la foire.

4 LAUREATS CARTE BLANCHE ETUDIANTS 2019
Samuel FORDHAM : UWE Bristol – UK 
Chris HOARE : UWE Bristol – UK
Fernando MARANTE : Ar.Co - Centro de Arte e Comunicação Visual – Portugal
Giulia PARLATO : Royal College of Art – UK

Le jury est composé de Sylvain Bailly (directeur des affaires culturelles de SNCF Gares & Connexions), Quentin Bajac (directeur, Jeu de Paume - Paris), Marisa Bellani (galeriste, Roman Road Gallery - Londres), Vincent Marcilhacy (directeur de Picto Foundation), Laure Tiberghien (artiste), Christoph Wiesner (directeur artistique, Paris Photo), Marie-Ann Yemsi(commissaire d’expositions).     

08.2019

Em contagem decrescente para a Drawing Room Lisboa 2019. 60 dias, 60 artistas com presença na feira.

Fernando MaranteMódulo - Centro Difusor de Arte

"Estas séries de imagens resultam de um trabalho experimental que explora a aparente dissonância entre o que o olho humano nos habituou a considerar real e a síntese de acumulações e transições desse real que o olho mecânico da câmara fotográfica nos permite obter."

Countdown to Drawing Room Lisboa 2019. 60 days, 60 artists with a presence at the fair.

Fernando Marante, Módulo - Centro Difusor de Arte

07.2019

15 artistas da galeria entre os já conhecidos e os que acabaram de ingressar, reunidos para ilustrar o assunto do processo artístico. A obra de arte não é uma representação mas o resultado da interiorização de um estímulo exterior.

06.2019

"Los participantes de Descubrimientos 2019 han sido seleccionados a través de una convocatoria abierta. Además algunos de ellos forman parte de las iniciativas It Makes Art y de Futures 2019".

05.2019

01.2019

"Estudos sobre a Possibilidade do Movimento" seleccionados para a Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira BF18

"BF18 - Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira
26 janeiro, 16h00 - Celeiro da Patriarcal

Cristiano Luís, Diogo Duarte, Eduardo Sousa Ribeiro, Fábio Cunha, Fernando Marante, José António Quintanilha, Leonor Fonseca, Marta Leite, Nuno Andrade e Rodolfo Gil são os 10 candidatos ao Prémio da BF18.

O seu trabalho será mostrado na exposição que se apresenta no Celeiro da Patriarcal. A seleção dos candidatos esteve a cargo de um Conselho de Curadores formado por António Júlio Duarte, José Luís Neto, Maria do Mar Fazenda e Paula Parente Pinto. A partir dos projetos apresentados nesta mostra, o Júri de Premiação delibera o vencedor do concurso, que será anunciado no dia da inauguração.

Dando continuidade à vertente curatorial encetada na edição de 2016 da BF, têm lugar, paralelamente à mostra da Patriarcal, duas exposições. No Museu Municipal, em “Espaço Comum” ganha destaque uma abordagem documental à realidade, com a apresentação de trabalhos de Margarida Correia, Rodrigo Tavarela Peixoto, Tito Mouraz e Valter Vinagre; já na Fábrica das Palavras, através de “Imagens com Vida Própria”, procura-se um espaço de representação para a fotografia de natureza mais ensaística e reflexiva, com projetos de João Paulo Serafim, Duarte Amaral Netto, Mariana Gomes Gonçalves e Soraya Vasconcelos.

Contamos com a vossa presença!

Link: http://bfvfx.cm-vfxira.pt/"

01.2019

Arte Jovem 2018 em Cascais

A exposição dos artistas selecionados para a exposição do Arte Jovem Millennium BCP 2018, que esteve no espaço Águas Livres em Lisboa em Julho, encontra-se agora no edifício do LACS em Cascais.

Sofia Mascate, Maria Von Hafe, Beatriz Coelho, David Dançante, Fernando Marante, José Taborda, João Miguel Ramos.

 

Exposição do Prémio Arte Jovem Millennium BCP – Concurso para alunos de Artes Visuais 2018 Carpe Diem Arte e Pesquisa

 

Info:

O Carpe Diem Arte e Pesquisa (CDAP) inaugura no dia 14 julho a exposição dos trabalhos dos candidatos selecionados do Concurso-Prémio Arte Jovem Millenium BCP 2018.

O Júri desta edição - constituído por Semíramis Gonzáles, Bruno Leitão e Pedro Calapez – selecionou, de entre as 130 candidaturas recebidas, sete artistas para exporem as suas peças. A exposição decorrerá no espaço Água-Livres 8 que generosamente acolheu esta iniciativa, local onde serão apurados os vencedores dos dois prémios Arte Jovem 2018. 

O concurso visa dar a conhecer as propostas dos artistas que acabam de entrar no mundo arte, contribuindo para uma visão mais alargada da produção artística nacional; criar a oportunidade de realizar a primeira exposição de apresentação de trabalho, com acompanhamento curatorial, vendas e catálogo; propor uma dinâmica mais competitiva entre escolas e cativar o mercado da arte, criando, assim, novas possibilidades de aquisição por colecionadores e investidores em novos artistas.

O prémio da edição 2018 conta o apoio da Fundação Millennium BCP e do Centro Português de Serigrafia. O primeiro prémio será uma viagem a uma capital Europeia, num contexto de um evento artístico, com o intuito de complementar a formação do premiado com visitas programadas a galerias, museus e outros agentes culturais. O segundo prémio será uma residência artística a realizar no Centro Português de Serigrafia.

 

A selecção para a exposição da edição do Concurso-Prémio Nacional Arte Jovem 2018 é a seguinte: Beatriz Coelho (FBAUL, Lisboa), David Dançante (Universidade de Évora), Fernando Marante (Ar.Co.), João Miguel Ramos (FBAP, Porto), José Taborda (FBAUL, Lisboa), Maria von Hafe (FBAUP, Porto) e Sofia Mascate (FBAUL, Lisboa).

 

O CDAP lançou, pela primeira vez em 2016, o concurso nacional Arte Jovem dirigido a alunos dos cursos de artes visuais finalistas ou que tenham terminado os cursos nos dois anos.

01.2019

"Serafina" e "Estudos sobre a Possibilidade do Movimento" na revista Manifesto

Neste número da revista sobressaem dois temas. Por um lado, o balanço prospetivo da solução política encontrada na sequência das legislativas de 2015, com a convergência inédita, na democracia portuguesa, dos partidos de esquerda. Por outro, a situação complexa e delicada que resultou das eleições no Brasil, no passado mês de outubro. Por isso, a MANIFESTO traz duas entrevistas: à Manuela D'Ávila, ex-candidata a vice-presidente do Brasil na "chapa" do Fernando Hadda, e ao Carvalho da Silva, para falarmos sobre o aprofundamento das políticas de esquerda.

Este número conta com os textos de mais de 30 autores, tais como Ana Drago, Daniel Oliveira, Farinha Rodrigues, Jorge Malheiros, José Reis, Paulo Areosa Feio ou Vítor Dias.

Completam ainda este número da revista o debate sobre a exploração de petróleo em Portugal, numa nova secção de contraditório; os textos de Luísa Costa Gomes e Regina Guimarães na secção Estórias; o portfólio de Fernando Marante, os trabalhos do Júlio Pomar e do Sérgio Condeço e a evocação de Piteira Santos (com um texto de Manuel Alegre), e do Paulo Varela Gomes (com a republicação de um texto sobre carros, cidades e passeios, de 1993, cuja atualidade não passa despercebida).

Mais informação: https://www.facebook.com/AssociacaoForumManifesto

12.2018

Ciclo de Conferências: Unidade Curricular Fotografia

No próximo dia 4 de Dezembro, o Ar.Co será representado por Fernando Marante, Joana Hintze  e Bénédicte Blondeau no Ciclo de Conferências de Fotografia III, que se realiza entre as 09h30 e as 17h30 no Arquivo Fotográfico de Lisboa. 

Evento aqui: https://www.facebook.com/events/2249086045414613/

Mais informação aqui: http://arquivomunicipal.cm-lisboa.pt/pt/eventos/conferencia-de-fotografia/

10.2018

"Estudo sobre a Possibilidade do Movimento" é o novo múltiplo Carpe Diem Arte & Pesquisa

Our new edition by Fernando Marante for @carpediem editions All can be consulted here: http://cdap.tictail.com/

10.2018

Bolsa Fundação Victor e Graça Carmona e Costa - Ar.Co

Atribuição de Bolsas de Estudo 2018/2019

Bolsa Graça Costa Cabral - Madalena Caiado - Projecto Individual em Artes Plásticas

Bolsa Fundação Victor e Graça Carmona e Costa 1 – Teresa Faleiro, CAAP – 2º Ano;
Bolsa Fundação Victor e Graça Carmona e Costa 2 – Fernando Marante, Projecto Individual em Fotografia;
Bolsa Hovione – Carla Guerreiro, CAAP – 1º Ano;
Bolsa Ana Martinho – Alejandra Escobar, Projecto Individual em Joalharia;
Bolsa Bruno Costa Cabral – Orlando Azevedo, CAAP 1º Ano;
Bolsa João Esteves de Oliveira – Anna Bouza da Costa, Projecto Aplicado de Ilustração;
Bolsa José Luis da Cruz Vilaça – Pedro Antunes, CAAP 1º Ano;
Bolsa Leonor e António Parreira – Alice Martins, CAF 1º Ano;
Bolsa Rui Macieira – Tamia Dellinger, Projecto Individual em Joalharia

Bolsa Fundação PT de Formação Artística - Diana Gaspar – Nível 3 Pintura;

Bolsa Fundação PT de Formação Artística - Osias André Bolsa Fundação PT de Formação Artística - Nível 3 Pintura;

Bolsa Fundação PT de Formação Artística - Andreia Caldeira – Nível 2 Fotografia;

Bolsa Fundação PT de Formação Artística - Lígia Góis – Nível 3 Joalharia;

Bolsa Fundação PT de Formação Artística - Madalena Santa Marta – Nível 3 Cerâmica

 

http://arco.pt/site/pt/apoios-e-parcerias

10.2018

"Ballet Mécanique" na exposição "Bye Bye" no Atelier 5D

É inaugurada já este sábado, das 18h30 à meia-noite. Atelier 5D, Rua 2 da Matinha, lote A, piso 5 D, em Lisboa. A série "Ballet Mécanique" é mostrada pela primeira vez.

09.2018

"Metro de Lisboa mostra os rostos que a História (quase) esqueceu" (Público P3)

"A instalação fotográfica Photomaton, que está patente na estação de metro Cais do Sodré e, em simultâneo, no Baliza Café Bar, em Lisboa, parte da premissa de que “as pessoas normais também têm direito à História”. Os 600 retratos anónimos que compõem a exposição foram recolhidos por Bruno ParenteRossella Nisio e Fernando Marante com o objectivo de colocar questões relacionadas com “a memória e a identidade (ou a ausência delas)”. “Quem são estas pessoas e que vida viveram?”, questionam.

“Seria engraçado se, de passagem, alguém pudesse identificar algumas destas pessoas”, refere Fernando Marante em entrevista ao P3. “Ficaríamos gratos se pudéssemos juntar uma cara a uma história real.” Os retratos foram comprados, ao longo de mais de um ano, na Feira da Ladra, em Lisboa; outros foram recolhidos por amigos dos artistas ou encontrados por eles em caixotes do lixo da capital. “Não temos forma de aferir se todos os retratos são de pessoas portuguesas, mas presumimos que sim.” O retrato mais antigo data de 1931; os mais recentes serão de finais da década de 70 ou início dos anos 80. “Tínhamos em nossa posse muito mais fotografias do que aquelas que seleccionámos. Removemos as mais actuais porque consideramos que se desviavam ao conceito-base do projecto”, que encontra raiz na corrente Found Photography.

Porquê Photomaton? “O photomaton era uma cabine fotográfica de funcionamento automático que se popularizou sobretudo nos Estados Unidos da América e que nunca teve grande expressão em Portugal”, refere Fernando. “As imagens do projecto terão sido realizadas sobretudo em estúdios fotográficos – que, por sua vez, também já se encontram em vias de extinção.” Ana Marques Maia, Público P3, 17 de Setembro de 2018. Mais informação aqui: https://www.pt/2018/09/17/p3/fotogaleria/rostos-que-a-historia-quase-esqueceu-no-metro-de-lisboa-389876

09.2018

Photomaton, um museu portátil que questiona a memória, é inaugurado no metro de Lisboa e no Baliza Café Bar

A exposição PHOTOMATON, um projecto artístico em duas partes, que trabalha sobre fotografia de arquivo.

 

PHOTOMATON é composto por duas instalações simultâneas, que são inauguradas no mesmo dia em locais diferentes.

 

A primeira destas instalações, instalada na estação Cais do Sodré do Metropolitano de Lisboa (piso das bilheteiras), consiste numa cabine do tipo “photomaton”, construída propositadamente para o efeito e revestida no seu interior de antigos retratos de identificação.

 

A segunda destas exposições reproduz as mensagens dedicatórias escritas no verso de alguns destes retratos e é exposta no Baliza Café Bar, na Bica, em Lisboa.

PHOTOMATON é um trabalho sobre a memória e a identidade (ou a ausência delas) da autoria dos artistas Bruno Parente, Rossella Nisio e Fernando Marante (biografias no final).

 

“Quem são estas pessoas e que vida viveram?” é a interrogação que é deixada para a especulação, apesar dos múltiplos referenciais deixados nestas fotografias: a idade, o género, as mensagens dedicatórias, as datas manuscritas, os carimbos dos “Photomatons” e dos estúdios de fotógrafo.

 

Partindo da premissa de que as pessoas normais não têm direito à História, sendo devolvidas ao anonimato assim que todas as pessoas que as poderiam identificar desaparecem, PHOTOMATON é um museu em miniatura, que nos oferece representações fragmentadas de vivências que não sobreviveram à memória.

 

PHOTOMATON procura também homenagear uma era em que a imagem fotográfica (o objecto impresso) tinha uma raridade e uma carga de representação individual que desapareceu hoje em dia, numa era de excesso de estímulos visuais, e em que a própria fixação (a ida ao fotógrafo) era ritualizada.

O Photomaton é uma cabine fotográfica automática inventada em 1925 nos Estados Unidos por Anatole Josepho. Foi a primeira forma automática de produção de retratos de identificação. Rapidamente entrou no imaginário colectivo e a literatura e o cinema renderam-lhe homenagem repetidamente. Atingiu o seu apogeu a partir dos anos 50 do século passado, em plena “space age”, e é um dos símbolos do modo de vida americano, urbano e automático.

Artistas como Richard Avedon (Esquire, 1957) e Franco Vaccari (Bienal de venza, 1972) usaram-no como ferramenta. Ainda hoje, em versões contemporâneas, está presente em locais de circulação.

 

BIOGRAFIAS DOS ARTISTAS

 

BRUNO PARENTE brunoparente.pt (Lisboa 1976), arquitecto de formação pela Faculdade de Arquitectura, tem desenvolvido, em paralelo com a actividade profissional, trabalho que cruza o campo das artes visuais e das instalações efémeras. Concluiu o primeiro ano do doutoramento em Arquitectura dos Territórios Metropolitanos Contemporâneos no Iscte e o nível básico do curso de fotografia do Ar.Co. Actualmente frequenta o curso de projecto em fotografia e Artes Plásticas no Atelier de Lisboa orientado por José Luis Neto e Cláudia Fischer.

 

FERNANDO MARANTE fernandomarante.com (Matosinhos, 1973) é um artista visual residente em Lisboa cujo trabalho assenta na ideia de transformação e na auto-referencialidade das imagens. Concluiu em 2017 o Curso Avançado de Fotografia do Ar.Co – Centro de Arte & Comunicação Visual, onde foi bolseiro com a Bolsa Leonor e António Parreira. Tem exposto colectiva e individualmente, de onde se destacam as exposições 9:3, produzida pela Ocupart, e PANORAMA 2018, com curadoria de Adelaide Ginga. Publicou na revista Propeller, foi finalista do Prémio Arte Jovem Millennium BCP, produzida pela Carpe Diem Arte e Pesquisa, e é artista seleccionado pela XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira.

 

ROSSELLA NISIO manicowlworks.com é uma artista visual de origem italiana, o seu trabalho constrói-se sobre a relação entre a imagem, com um cunho fortemente fotográfico, e a narrativa. Formou-se nas áreas da teoria do cinema e das artes performativas, que desenvolveu com uma formação prática, inicialmente no campo da fotografia documental e, mais recentemente, na produção de imagens de síntese. Completou em 2017 o curso avançado de fotografia do Ar.Co, em Lisboa, e frequenta actualmente uma pós-graduação em Media Design no Piet Zwart Institute de Roterdão.

 

HORÁRIO DAS EXPOSIÇÕES

 

13 SETEMBRO A 13 DE OUTUBRO

METRO CAIS DO SODRÉ, TODOS OS DIAS DAS 06H30 À 01H00

BALIZA CAFÉ BAR, SEXTAS E SÁBADOS, A PARTIR DAS 18H

MAIS INFORMAÇÕES

Mais informação: www.photomaton.info

Exhibition View. Bienal de Cerveira, 2018.

Studies on the Possibility of Movement #4.

08.2018

08.2018

"Estudos sobre a Possibilidade do Movimento #4" seleccionados para a Bienal de Cerveira

Tenho o prazer de comunicar que sou um dos artistas seleccionados para a XX Bienal de Cerveira, onde mostrarei, pela primeira vez, a série completa de 16 imagens dos Estudos sobre a Possibilidade do Movimento #4, que produzi há uns meses. De 10 de Agosto a 23 de Setembro. Mais informações aqui: http://bienaldecerveira.org/xx-bienal/tema.html

07.2018

Exhibition Views.

Studies on the Possibility of Movement.

Carpe Diem - Millenium BCP prize finalists 2018

07.2018

Fernando Marante seleccionado finalista do Prémio Carpe Diem Arte Jovem Millennium BCP

Exposição do Prémio Arte Jovem Millennium BCP – Concurso para alunos de Artes Visuais 2018 Carpe Diem Arte e Pesquisa

Inauguração: 14 de julho de 2018, das 17h00 às 20h00
Último dia: 28 de julho de 2018
Horário Exposição: Quintas, Sextas e Sábados das 18 as 20h ou por marcação para o email referido abaixo.
Morada: Praça das Águas Livres 8gh, 1269-104, Lisboa
Email: info@carpe.pt
www.carpe.pt

O Carpe Diem Arte e Pesquisa (CDAP) inaugura no dia 14 julho a exposição dos trabalhos dos candidatos selecionados do Concurso-Prémio Arte Jovem Millenium BCP 2018.
O Júri desta edição - constituído por Semíramis Gonzáles, Bruno Leitão e Pedro Calapez – selecionou, de entre as 130 candidaturas recebidas, sete artistas para exporem as suas peças. A exposição decorrerá no espaço Água-Livres 8 que generosamente acolheu esta iniciativa, local onde serão apurados os vencedores dos dois prémios Arte Jovem 2018.
O concurso visa dar a conhecer as propostas dos artistas que acabam de entrar no mundo arte, contribuindo para uma visão mais alargada da produção artística nacional; criar a oportunidade de realizar a primeira exposição de apresentação de trabalho, com acompanhamento curatorial, vendas e catálogo; propor uma dinâmica mais competitiva entre escolas e cativar o mercado da arte, criando, assim, novas possibilidades de aquisição por colecionadores e investidores em novos artistas.
O prémio da edição 2018 conta o apoio da Fundação Millennium BCP e do Centro Português de Serigrafia. O primeiro prémio será uma viagem a uma capital Europeia, num contexto de um evento artístico, com o intuito de complementar a formação do premiado com visitas programadas a galerias, museus e outros agentes culturais. O segundo prémio será uma residência artística a realizar no Centro Português de Serigrafia.

A selecção para a exposição da edição do Concurso-Prémio Nacional Arte Jovem 2018 é a seguinte: Beatriz Coelho (FBAUL, Lisboa), David Dançante (Universidade de Évora), Fernando Marante (Ar.Co.), João Miguel Ramos (FBAP, Porto), José Taborda (FBAUL, Lisboa), Maria von Hafe (FBAUP, Porto) e Sofia Mascate (FBAUL, Lisboa).

O CDAP lançou, pela primeira vez em 2016, o concurso nacional Arte Jovem dirigido a alunos dos cursos de artes visuais finalistas ou que tenham terminado os cursos nos dois anos.

05.2018

"Estudos sobre o Movimento" participam na exposição PANORAMA 2018

A partir desta sexta-feira mostro trabalhos novos na PANORAMA, eu e mais uns tantos. A exposição acontece na Galeria do Le Consulat, na Praça Camões, em Lisboa, e tem a curadoria de Adelaide Ginga. 

03.2018

Exposição Colectiva 9:3 acolhe "Estudos sobre o Movimento"

9:6 | EXPOSIÇÃO

INAUGURAÇÃO > Quinta-feira, 8 de março, 19h

Exposição de 9 março a 6 abril 2018 | segunda a sexta, 11h – 18h30h

Ocupart | Espaço Camões da Livraria Sá da Costa | Praça Luís de Camões, 22, 4º andar, Lisboa

A exposição 9:6 reúne trabalhos de 9 artistas em 6 salas de um 4º andar da Praça Luís de Camões. A ideia da exposição surge da possibilidade de ocupar estas salas, temporariamente disponíveis, apresentando trabalhos de artistas de diferentes gerações e com diferentes percursos.

São 9 os artistas a marcar o seu lugar no olhar atento do público lisboeta: Fernando Marante, Filipa Roque, Isabel Almeida Garrett, Jorge Barrote, Josselin Bonnetain, Manuel Queiró, Margaridas Alves, Nina Fraser e Zizi Ramires – 9 partes que se complementam no cruzamento de técnicas diversas: pintura, desenho, escultura, fotografia e vídeo.

Com produção da Ocupart, 9:6 tem curadoria de Sofia Marçal.